Mensagem à Diocese de Aveiro

D.AntonioFrancisco Caros Diocesanos

Nesta hora, não encontro outras palavras senão estas ditas, por Deus quando chamou Abraão: “Deixa a tua terra, a tua família e vai para a terra que eu te indicar” (Gén 12, 1).

Foi à voz de Deus e seguindo o Seu chamamento que sempre parti. Desde a minha primeira missão, como jovem diácono, nos confins do Alto Douro.

Em todos os lugares permaneci e trabalhei, por pouco ou muito tempo, com alegria. Sempre me senti livre para daí partir no dia seguinte, se necessário fosse. Sempre, de igual modo, me senti disponível para aí permanecer.

De todos os lugares fiz minha terra até ao fim. De todas as pessoas sempre me senti irmão. Em todos os lugares onde vivi e nos diferentes múnus que a Igreja me confiou eram previsíveis as mudanças. Menos aqui!

Aveiro era para mim lugar, desígnio e missão até ao fim. Nunca aqui fui estranho nem me senti estrangeiro. Mas, hoje, compreendo, melhor do que nunca, que também aqui era simplesmente peregrino. Só Deus basta e só Cristo permanece.

Pedi a muitos dos nossos sacerdotes em cada ano que, por imperativo de missão, deixassem terras e comunidades e partissem, com alegria e coragem, para outras terras e novas comunidades. Agora tenho eu mesmo de ser coerente e consequente com o que pedi aos outros.

Aveiro era a minha casa e a minha família, pensava eu! Aqui encontrei barco e remos à minha medida. Sempre senti que Cristo ia ao leme. Nunca me faltaram colaboradores dedicados, dispostos a remar ao meu lado e disponíveis para a missão.

A Missão Jubilar ajudou-nos a ser uma Igreja una e unida. Percorremos “um belo e bom caminho” como Igreja feliz, decidida e mobilizada para acolher e anunciar a “alegria do Evangelho”.

Agora é tempo de partir. Sem vos deixar. Parto de amarras soltas, agradecido por esta Igreja de Aveiro que sirvo e tanto amo. Sei que vou acompanhado pela amizade, oração e dedicação de todos os aveirenses.

À voz de Deus e ao mandato da Igreja eu só posso dizer “Sim” por entre desafios, temores e surpresas. Sempre me senti sereno quando obedeci. Sempre reencontrei a liberdade interior quando, depois de dúvidas e receios, venci o temor e disse sim a Deus e à Igreja.

De coração livre e disponível para a Missão, quero, ajoelhado diante de Deus e de olhar voltado para a Mãe de Deus e para Santa Joana, Nossa Padroeira, dizer sim à Igreja que agora me chama a servir a Diocese do Porto.

Acompanhai-me com a vossa amizade e oração, como sempre fizestes ao longo destes oito anos e abençoai-me nesta nova e difícil missão a que Deus me chama. Vivei esta hora comigo.

Com a bênção do vosso bispo e vosso irmão.

Aveiro, 20 de Fevereiro de 2014

António Francisco dos Santos, Bispo de Aveiro

Semana de promoção vocacional na Caminhada das Bem-Aventuranças

“Estamos a viver a alegria de uma Semana de promoção vocacional na Caminhada das Bem-Aventuranças. O Seminário é esse tempo e espaço que desafia a nossa existência a uma resposta vocacional. Tu és chamado porque Deus continua a amar; Ele chama porque ama e só porque queremos corresponder ao seu amor é que somos audazes em querer responder. Viveremos em breve a alegria de três ordenações presbiterais, três cristãos que decidiram corresponder ao chamamento de Deus na doação generosa e radical das suas vidas. Que o seu ‘sim’ seja acompanhado com a nossa oração.”

João Miguel Araújo Alves, padre

Retiro para casais

O Seminário vai realizar um retiro para casais a 23 e 24 de Novembro de 2013.

O Custo será de 50€ por casal.

Para mais informações contactar por email para geral@seminarioaveiro.org ou para o telemóvel 966661155.

 

Exéquias de D. António Baltasar Marcelino

D. Anónio Marcelino

Na sequência da informação do falecimento de D. António Baltasar Marcelino, a diocese de Aveiro torna público que as celebrações exequiais decorrerão em Aveiro do seguinte modo:

10 de outubro – quinta-feira
Da parte da manhã o corpo será colocado na igreja do seminário de Aveiro
19h00 – Eucaristia
21h30 – Vigília de oração

11 de outubro – sexta-feira
09h00 – Laudes e transladação para a Sé de Aveiro
15h00 – Eucaristia exequial na Sé de Aveiro, seguindo depois o cortejo fúnebre para cemitério central de Aveiro

A diocese de Aveiro a viver em missão jubilar está unida na oração e gratidão a Deus pela vida e ministério de D. António Baltasar Marcelino.

Na Barca da Igreja, Eu Sou!” – Caminhada Diocesana

A diocese de Aveiro está a viver, a propósito dos 75 anos da sua restauração como diocese, um projecto pastoral que denominou de “Missão Jubilar”. Este projeto aproxima-se de um dos seus momentos mais marcantes que decorrerá de 8 a 11 de Dezembro próximo.

Neste enquadramento surge a caminhada “Na barca da Igreja, eu sou!” a realizar de 10 de novembro a 25 de dezembro.

Procura-se na primeira semana despertar a todos para a consciência do sentido da vida e da vocação. Nas semanas seguintes, cada cristão, comunidade, serviço diocesano e movimento é convidado a viver o caminho de felicidade proposto por Jesus Cristo nas bem-aventuranças. Ao mesmo tempo pretende-se motivar à participação na celebração diocesana do dia 8 de dezembro, centrando-nos, por fim, na celebração do Natal.

Na primeira semana, dedicada especialmente à promoção vocacional serão propostas a toda a diocese um conjunto de catequeses e de aulas de EMRC, a dinamizar de acordo com as faixas etárias, e por fim a realização de uma vigília de oração pelas vocações. Em termos individuais será proposto às pessoas um calendário de bolso “O que Deus quer de mim?” onde diariamente se procura propor um caminho de reflexão sobre a palavra de Deus e de oração.

Nas semanas seguintes até ao Natal, desafia-se cada cristão a viver com ações concretas a proposta das bem-aventuranças, sendo misericordioso, irmão, ouvinte, luz, feliz e a tomar consciência da presença de Deus connosco em Jesus Cristo.

Na vivência desta caminhada assumimos como símbolo – a rede de pesca, enquadrado no símbolo da missão jubilar – um barco. Semana após semana, será colocado na rede um peixe que representará o compromisso individual semanal.

Esta expressão simbólica terá expressão comunitária nas igrejas e familiar em cada um dos lares da nossa diocese.

Assumimos esta caminhada tendo presente o desafio do Mestre que segue connosco na barca: “Faz-te ao largo; e vós, lançai as redes para a pesca” (Lc. 5, 4). Somos assim lançados na aventura de realizar um mundo melhor vivendo as bem-aventuranças.

materiais

Mensagem – D. António Francisco

Guião – documento em PDF

Semana de promoção vocacional – cartaz

Catequeses

Catequeses – anexos

Aulas de EMRC

peixe_960px